English Version Version en Español Mapa do Site Página Inicial
Villa-Lobos Museu Villa-Lobos Banco de Dados Contato Links Amigos do Museu
Música e Fala Biografia Cronologia Ilustrada


















De 1870 a 1900

De 1901 a 1910

De 1911 a 1920

De 1921 a 1930

De 1931 a 1940

De 1941 a 1950

De 1951 a 1959


De 1931 a 1940 Museu Villa-Lobos - Clique para retornar para a página inicial
Você está aqui: Página Incial » Villa-Lobos » Cronologia Ilustrada » De 1931 a 1940
Legenda - Textos na cor verde: informações relativas a Villa-Lobos | Textos na cor preta: fatos contextualizados entre 1870 e 1959

1931-1959
Camargo Guarnieri escreve a série de 50 peças para piano intitulada "Ponteios", considerada seu ápice no domínio da técnica pianística.

1931
Excursiona com a Caravana de Arte Brasileira, com a finalidade de levar música a 54 cidades do interior paulista. Fazem parte da Caravana os pianistas Lucília Villa-Lobos, Guiomar Novaes, Antonieta Rudge Müller e João de Souza Lima; o violinista belga Maurice Raskin; e as cantoras Nair Duarte Nunes e Annita Gonçalves.

Anísio Teixeira integra-se a uma comissão do Ministério da Educação e Saúde encarregada de estudar a reorganização do ensino secundário no país, e, na condição de Secretário de Educação, convida Villa-Lobos a organizar e dirigir a SEMA - Superintendência de Educação Musical e Artística. Tal convite é conseqüência do trabalho iniciado pelo compositor em São Paulo e levado ao conhecimento do presidente Getúlio Vargas e do prefeito do Distrito Federal (Rio de Janeiro) Pedro Ernesto, através de João Alberto.

Realiza, na cidade de São Paulo, a primeira grande concentração orfeônica a que chama de Exortação Cívica, reunindo cerca de 12.000 vozes.

Ernesto Nazareth escreve o "Improviso - Estudo para Concerto" para piano, dedicado "ao distinto amigo Villa-Lobos".

É criado o Ministério da Educação e Saúde.

O ensino do idioma inglês é declarado obrigatório nas escolas secundárias.

É inaugurada, no Rio de Janeiro, a estátua do Cristo Redentor.

1932
Conhece Arminda Neves d'Almeida, a Mindinha (1912-1985), que vem a ser sua segunda mulher e a quem dedica mais de 50 de suas composições.

No Rio de Janeiro, assume a direção da SEMA - Superintendência de Educação Musical e Artística.

É instituído o ensino obrigatório de música e canto orfeônico nas escolas.

É criado o Curso de Pedagogia de Música e Canto Orfeônico, ministrado por Villa-Lobos. Daí surge o Orfeão de Professores.

Empreende uma demonstração pública de 13.000 vozes, constituída por alunos das escolas primárias, secundárias e do Instituto de Educação, além do Orfeão dos Professores. Esses espetáculos corais ao ar livre, mais conhecidos como "concentrações orfeônicas", chegam a reunir até 44.000 vozes.

Promove, pela primeira vez no Brasil, uma série de concertos didáticos, voltados para a juventude, realizados no Theatro Municipal do Rio de Janeiro sob a regência de Walter Burle-Marx.

Organiza o "Guia Prático - 1º Volume", contendo 137 canções folclóricas por ele arranjadas, destinadas à iniciação musical nas escolas.

1933
Com letra de C. Paula Barros, compõe o "Canto do Pajé", música emblemática de seu trabalho de educação musical.

1934
É promulgada uma nova Constituição brasileira, que preserva o regime federativo e assegura eleições por voto universal e direto para todos os cargos executivos, de presidente da República a governadores e prefeitos. Getúlio Vargas prossegue à frente do governo federal, agora como presidente eleito pela Assembléia Constituinte.

1935-1938
À frente do Departamento de Cultura de São Paulo, Mário de Andrade empreende, juntamente com colaboradores, várias pesquisas etnográficas em São Paulo e outros estados do Sudeste, além do Centro-Oeste, Norte e Nordeste brasileiros.

1935
Participa da comitiva do presidente Getúlio Vargas na viagem oficial à Argentina, por ocasião do Terceiro Congresso Pan-Americano de Comércio. No Teatro Colón, em Buenos Aires, sob sua regência, é apresentado o balé "Uirapuru", em estréia mundial.

Inauguradas a Rádio Tupi de Assis Chateaubriand com programação popular e a Rádio JB do Conde Ernesto Pereira Carneiro, que prometia uma programação sofisticada e de alto padrão cultural.

1936-1937
Compõe as peças "Plantio do Caboclo", "Impressões Seresteiras", "Festa no Sertão" e "Dança do Índio Branco" que formam o "Ciclo Brasileiro" para piano solo.

1936
Viaja à Europa, como representante do Brasil, para o Congresso de Educação Musical, em Praga. No entanto, por problemas mecânicos no dirigível Hindenburg, no qual havia embarcado, não chega a participar do evento. Ainda assim, lhe é dada uma sessão extra onde promove uma conferência sobre o ensino musical no Brasil.

De Berlim escreve a Lucília, encerrando o relacionamento do casal; em seu retorno, une-se à sua ex-aluna e colaboradora Arminda Neves d'Almeida.

Sob a regência de Villa-Lobos, estréia o bailado "Amáia", de Lorenzo Fernandez.

Inaugurada a Rádio Nacional, líder de audiência de populares programas de auditório durante anos.

1937
Compõe, sob encomenda do Instituto de Cacau da Bahia, as 4 suítes "Descobrimento do Brasil", que servem de trilha sonora para o filme de mesmo nome, de Humberto Mauro.

Inicia-se um novo período político no Brasil, o Estado Novo, que dura oito anos. A ditadura imposta por Getúlio Vargas é justificada como forma de evitar "o comunismo e a democracia anárquica".

Chega ao Brasil, como imigrante, o musicólogo, professor e compositor alemão Hans-Joachim Koellreutter, que introduz no Brasil o dodecafonismo.

"Carinhoso", composição originalmente instrumental de Pixinguinha, recebe letra de João de Barro, o Braguinha (1907-2006). Esta versão é gravada, pela primeira vez, ainda em 1937, por Orlando Silva (1915-1978).

1938-1942
Francisco Mignone compõe, para piano solo, as "12 Valsas de Esquina" que retratam o ambiente dos chorões do início do século XX.

Nasce, no Recife, capital de Pernambuco, o compositor Willy Correia de Oliveira.

1939
É encenado, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, o musical "Joujoux et Balangandans", escrito por Henrique Pongetti, que traz uma canção inédita de Ary Barroso, a mundialmente famosa "Aquarela do Brasil", orquestrada por Radamés Gnattali.

Estréia, em sua versão completa, o bailado afro-brasileiro "Maracatu do Chico Rei" de Francisco Mignone. Ainda nesse mesmo ano, Mignone escreve "Festa das Igrejas", uma de suas obras máximas, que vem a ser gravada por Arturo Toscanini.

Surge o grupo Música Viva, fundado por Koellreutter, com o objetivo de difundir a música contemporânea, com ênfase na produção de jovens compositores brasileiros.

Mário de Andrade cria a Sociedade de Etnologia e Folclore de São Paulo, sendo seu primeiro presidente. Organiza o 1º Congresso da Língua Nacional Cantada e projeta a criação do SPHAN - Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, atual IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Nesse período, no Rio de Janeiro, o samba tem presença marcante. O ambiente musical ferve no Café Nice, na Galeria Cruzeiro e no Teatro Recreio.

Com a invasão da Polônia pela Alemanha, França e Inglaterra declaram guerra a esta última. Tem início a II Guerra Mundial, que teria seu fim em 1945.

1940
Compõe os "5 Prelúdios" para violão solo.

Cria o bloco "Sôdade do Cordão", revivendo manifestações carnavalescas de sua infância.

Patrocinado pelo Departamento de Estado dos EUA, chega ao Brasil o maestro Leopoldo Stokowski para fazer dois concertos no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Na sua curta estadia, reúne, com a ajuda de Villa-Lobos, os mais legítimos representantes da música popular do momento, como Pixinguinha, Donga, João da Baiana, Cartola, a dupla Jararaca e Ratinho, entre outros. Esse encontro é registrado em dois álbuns de quatro discos cada, sob o título "Native Brazilian Music".

Voltar para o topo

Apresentação da Caravana de Arte Brasileira em São João da Boa Vista
Caravana de Arte Brasileira

Arminda Villa-Lobos
Arminda Villa-Lobos

Villa-Lobos e Arminda sentados à mesa. Da direita para a esquerda, Iberê Gomes Grosso, Ruth Valladares Corrêa, Arnaldo Estrella, Gazzi de Sá, José Vieira Brandão e Oscar Borgerth
Villa-Lobos, Arminda, Iberê Gomes Grosso, Ruth Valladares Corrêa, Arnaldo Estrella, Gazzi de Sá, José Vieira Brandão e Oscar Borgerth

Concentração orfeônica no Campo do Vasco da Gama com 35.000 escolares - 1942
Concentração orfeônica no Campo do Vasco da Gama

Os Escravos de Jó do Guia Prático - 1° volume
Os Escravos de Jó

Villa-Lobos e Getúlio Vargas com Arminda e Julieta Strutt
Villa-Lobos, Getúlio Vargas, Arminda e Julieta Strutt

Hans-Joachim Koellreutter
Hans-Joachim Koellreutter

Braguinha
Braguinha

Willy Correia de Oliveira
Willy Correia de Oliveira

Villa-Lobos, Arminda Villa-Lobos, Zé Espinguela, Ismailovich e a atriz portuguesa Beatriz Costa no ensaio do Sôdade do Cordão no morro da Mangueira
Villa-Lobos, Arminda Villa-Lobos, Zé Espinguela, Ismailovich e Beatriz Costa

Villa-Lobos assistindo a evolução e passos do Sôdade do Cordão
Villa-Lobos e o Sôdade do Cordão

Villa-Lobos e Stokowski
Villa-Lobos e Stokowski

© Copyright 2007 by Museu Villa-Lobos
E-mail: mvillalobos@museuvillalobos.org.br