English Version Version en Español Mapa do Site Página Inicial
Villa-Lobos Museu Villa-Lobos Banco de Dados Contato Links Amigos do Museu
Música e Fala Biografia Cronologia Ilustrada


















De 1870 a 1900

De 1901 a 1910

De 1911 a 1920

De 1921 a 1930

De 1931 a 1940

De 1941 a 1950

De 1951 a 1959


De 1951 a 1959 Museu Villa-Lobos - Clique para retornar para a página inicial
Você está aqui: Página Incial » Villa-Lobos » Cronologia Ilustrada » De 1951 a 1959
Legenda - Textos na cor verde: informações relativas a Villa-Lobos | Textos na cor preta: fatos contextualizados entre 1870 e 1959

1951
O Teatro Alla Scala de Milão encomenda-lhe um balé. Escreve, então, "Rudá".

"Erosão", primeira encomenda que lhe é feita pela Orquestra de Louisville - à qual dedica a obra -, faz sua estréia mundial nos EUA, sob a direção de Robert Whitney.

É promulgada a Lei Afonso Arinos contra a discriminação racial.

1952
Retorna ao Memorial Hospital de Nova York para nova cirurgia.

A "Sinfonia Nº 3" de Camargo Guarnieri, considerada um dos pontos altos de sua produção sinfônica, vence o concurso do IV Centenário de São Paulo e é estreada por Eleazar de Carvalho, à frente da Orquestra Sinfônica Brasileira.

1953
Dirigindo a Orquestra Sinfônica de Pittsburgh apresenta nos EUA em primeira audição o "Concerto Nº 4 para Piano e Orquestra", tendo como solista Bernardo Segall.

É composta e estreada nos EUA a "Alvorada na Floresta Tropical". A obra, uma encomenda da Orquestra de Louisville, à qual é dedicada, é executada pelo próprio conjunto, dirigido por Robert Whitney.

1954-1958
Grava, para a EMI da França, diversas obras de sua autoria, entre elas: as 9 "Bachianas Brasileiras", as 4 suítes do "Descobrimento do Brasil", o "Choros Nº 10", o "Momoprecoce" e o "Concerto Nº 5 para Piano e Orquestra", contando com a participação de solistas como o soprano Victoria de Los Angeles, Magda Tagliaferro e Felicja Blumental. Essas gravações fariam parte de uma coleção de discos intitulada "Villa-Lobos par Lui-Même".

1954
Em fevereiro recebe o título de "Doctor of Music" na Universidade de Miami, EUA.

"Odisséia de uma Raça", obra dedicada ao Estado de Israel, é apresentada em primeira audição mundial em Haifa, pela Filarmônica de Israel, sob a regência de Michael Taube, e, no Brasil, sob a regência do próprio compositor.

No dia 24 de agosto suicida-se, no Palácio do Catete, sede do governo brasileiro, o presidente Getúlio Vargas. Justifica seu ato através de uma "carta-testamento" em que declara que as "forças e os interesses contra o povo" têm se desencadeado sobre ele e que, "resistindo a uma pressão constante, incessante", nada mais pode dar ao povo brasileiro a não ser o seu "sangue", e que, "serenamente", dá o "primeiro passo no caminho da eternidade", saindo "da vida para entrar na história".

Café Filho é empossado presidente da República.

1955 e 1956
Estréiam o "Concerto para Harpa e Orquestra" e o "Concerto para Violão e Pequena Orquestra", escritos para dois dos mais importantes instrumentistas de todos os tempos: o harpista Nicanor Zabaleta (1907-1993) e o violonista Andrés Segóvia (1893-1987), que são os solistas dos concertos dirigidos por Villa-Lobos, à frente, respectivamente, da Orquestra da Filadélfia e da Sinfônica de Houston.

1955
No Carnegie Hall de Nova York faz ouvir, pela primeira vez, sua "Sinfonia Nº 8", dirigindo a Orquestra da Filadélfia.

A Sociedade Alemã de Proteção aos Direitos Autorais dos Músicos e Compositores confere-lhe a medalha Richard Strauss.

Recebe do presidente da República, Café Filho, juntamente com Ary Barroso, a Ordem do Mérito. Villa-Lobos, no grau de comendador; Ary Barroso, no grau de oficial.

Em conseqüência de seu aprofundamento no estudo do folclore nordestino, Guerra-Peixe lança o livro "Os Maracatus do Recife".

Juscelino Kubitschek é eleito presidente da República.

1956
Sob a sua direção, estréiam, nos EUA: o balé "The Emperor Jones", escrito neste mesmo ano por encomenda do Empire State Music Festival (Nova York) e coreografado e dançado por José Limón; e a "Sinfonia Nº 11", com a Orquestra Sinfônica de Boston, composta por encomenda desta e dedicada a Nathalie e Serge Koussevitzky.

1957
Sua "Fantasia para Violoncelo e Orquestra", composta em 1945, e dedicada a Serge Koussevitzky, faz sua estréia norte-americana, mais precisamente em Nova York, tendo como solista o violoncelista brasileiro Aldo Parisot e o compositor como regente, à frente da Stadium Symphony Orchestra (nome da Filarmônica de Nova York enquanto contratada da CBS - Columbia Broadcasting System).

Em comemoração ao seu 70º aniversário, recebe várias homenagens:
No Brasil, é declarado o Ano Villa-Lobos, por iniciativa do ministro da Educação e Cultura, Clóvis Salgado.
A cidade de São Paulo promove uma Semana Villa-Lobos, com conferências e concertos, da qual o compositor toma parte como regente.
Na Inglaterra, em concerto especial, dirige a Orquestra Sinfônica de Londres.
Em Nova York, recebe a citação por Serviços Meritórios e Excepcionais da Municipalidade daquela cidade, e, no New York Times, um editorial em sua honra.

1958
Dirige, em Bruxelas, a Orquestra Sinfônica da Bélgica, sendo recebido pela Rainha Elizabeth daquele país.

Três momentos de Villa-Lobos nos EUA:
Compõe, sob encomenda da MGM - Metro Goldwyn Mayer -, música para o filme "Green Mansions", que é estrelado por Audrey Hepburn e Anthony Perkins e dirigido por Mel Ferrer.
Recebe o título de "Doutor Honoris Causa" da Universidade de Nova York, ocasião em que assiste à estréia de sua "Bendita Sabedoria", obra para coro, dedicada àquela Universidade.
Compõe, por encomenda da Violoncello Society, a "Fantasia Concertante" para orquestra de violoncelos, cuja estréia acontece no Town Hall de Nova York, sob a batuta do compositor.

É lançado o LP "Canção do Amor Demais" de Elizeth Cardoso (1920-1990), exclusivamente com músicas de Tom Jobim (1927-1994) e Vinícius de Moraes (1913-1980), e que conta com a participação de João Gilberto. Este disco é considerado o marco do nascimento da Bossa Nova.

1959
Grava, com o soprano Bidu Sayão e a Symphony of The Air, a "Floresta do Amazonas", título dado pelo compositor à partitura sinfônica de "Green Mansions".

Em 12 de julho, em Nova York, no Empire State Music Festival, dirige a Symphony of the Air, naquele que seria seu último concerto. Fazem parte do programa: "Choros Nº 6", "Papagaio do Moleque", "Uirapuru", "Descobrimento do Brasil - 1ª Suíte" e, em primeira audição mundial em concerto, as quatro canções da "Floresta do Amazonas", interpretadas pelo soprano Ellinor Ross.

Falece no Rio de Janeiro, aos 72 anos, no dia 17 de novembro, sendo velado no Theatro Municipal e enterrado no Cemitério São João Batista. Na lápide de seu túmulo lê-se: "Considero minhas obras como cartas que escrevi à Posteridade sem esperar resposta".

Voltar para o topo

Villa-Lobos regendo Felicja Blumental e ORTF
Villa-Lobos regendo Felicja Blumental e ORTF

Villa-Lobos e Orquestra da Filadélfia
Villa-Lobos e Orquestra da Filadélfia

Villa-Lobos e Ary Barroso
Villa-Lobos e Ary Barroso

Villa-Lobos, Andrés Segóvia e Nicanor Zabaleta
Villa-Lobos, Segóvia, Zabaleta, Arthur Cohn, Salzedo, Arminda, Bernardo Segall e Walter Burle Marx

Villa-Lobos e Juscelino Kubitschek
Villa-Lobos e Juscelino Kubitschek

Villa-Lobos, Arminda e José Limón
Villa-Lobos, Arminda e José Limón

Aldo Parisot
Aldo Parisot

Villa-Lobos com Arminda e a Rainha Elizabeth da Bélgica
Villa-Lobos com Arminda e a Rainha Elizabeth da Bélgica

Villa-Lobos e Anthony Perkins
Villa-Lobos e Anthony Perkins

Villa-Lobos e Audrey Hepburn
Villa-Lobos e Audrey Hepburn

Villa-Lobos e Mel Ferrer
Villa-Lobos e Mel Ferrer

Villa-Lobos e Bidu Sayão
Villa-Lobos e Bidu Sayão

Villa-Lobos recebe a citação por mérito das mãos de Roger Wagner
Villa-Lobos, Arminda e Roger Wagner

Villa-Lobos ladeado por Arminda, Dora Vasconcellos e desconhecidos
Villa-Lobos com Arminda e Dora Vasconcellos

© Copyright 2007 by Museu Villa-Lobos
E-mail: mvillalobos@museuvillalobos.org.br